Artigos

31 de agosto de 2012

O ditado “Quem ri por último, ri melhor” Vale para imóveis?

O Governo Federal divulgou esta semana, a previsão para um aumento do salário mínimo, que passará a ser de R$670,95. Com este valor, mais famílias poderão adquirir o seu imóvel próprio e assim, realizar o sonho da casa própria.

Este grupo de pessoas que atualmente denominamos de “ascendentes”, pois estão ingressando na classe media, passam a ter mais poder de compra no mercado imobiliário, graças também a fatores como o barateamento do crédito, mas nem de longe, esses consumidores se contentam com pouco.

Quando frequento os lançamentos de meus clientes construtores, por vezes me faço de comprador e passo a manter conversa com outros interessados nos stands de venda, percebendo assim, que esses interessados desejam ter uma qualidade de vida e relacionam este conceito, intimamente, à existência de itens condominiados de conforto e lazer.

Esse fator por si só, explica a necessidade dos empreendedores de lançar produtos populares com uma quantidade mais robusta de unidades, pois assim, poderão oferecer a seus clientes um padrão de conforto e lazer mais interessante, a custos menores.

Quando citei o ditado popular, foi buscando um paralelo com o cenário atual do mercado imobiliário, pois de acordo com nossa radiografia do mercado, as empresas já buscam aprimorar seus projetos para pessoas com menos crédito ou menos renda, aumentando assim, a concorrência entre as empresas que operam nesse segmento. A você consumidor, basta ter paciência! A você incorporador, volte sua atenção ao mercado!

 

PROTESTE ACIONA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL NA JUSTIÇA

 

A PROTESTE Associação de Consumidores ajuizou ação civil coletiva na 22ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, em 2 de agosto último, contra a Caixa Econômica Federal (CEF) para que sejam beneficiados com redução da taxa de juros os consumidores que assinaram contrato de financiamento habitacional antes de 4 de maio de 2012. Foi pedida a concessão de liminar. O processo é o nº0038242-28.2012.4.01.3400 e encontra-se “concluso para decisão”.  

 

Ação coletiva é para que todos os mutuários tenham direito à redução taxa de juros mensal dos novos financiamentos imobiliários.

 

O objetivo é que todos os mutuários da CEF, em âmbito nacional, tenham o direito de negociar e obter a aplicação da mesma taxa de juros mensal divulgada para os novos financiamentos imobiliários, e nas mesmas condições oferecidas aos clientes/mutuários de outras instituições financeiras que optem pela portabilidade para a CEF, sempre que essa taxa for inferior ao já previsto e aplicado no contrato firmado.

Se a Justiça der ganho de causa à PROTESTE, mutuários que assinaram contrato antes de 4 de maio poderão negociar para passar a pagar as prestações de seu financiamento que ainda estão por vencer com juros até 21% menores. E serão revistos os saldos devedores dos contratos de financiamento de imóvel, em todas as modalidades (tais como SFH, SFI, carteira hipotecária), a contar de maio de 2012, data da primeira redução de juros divulga pela CEF.

Dica do Colares

Avalie diariamente seu fluxo de caixa. O custo financeiro está a cada dia mais relevante!


Outros artigos»
OUTROS ARTIGOS
13 de julho de 2013

Mercado avança com contrato de locação "Built to Suit"

O contrato de locação "built to suit" é aquele contrato de locação no qual o locat&aa…

Continuar lendo »
23 de novembro de 2012

Urbanismo em Pauta

Hoje, passaremos a analisar outro aspecto do mercado imobiliário, que é o URBANISMO. Sim! Em meio a um nom…

Continuar lendo »