Artigos

16 de novembro de 2012

Arregaçando as mangas da camisa!

O mercado imobiliário do Estado do Rio Grande do Norte sofre com a carência de pesquisas técnicas para determinar a existência de bolhas imobiliárias ou mesmo o real sentimento de desejo do consumidor deste bem.  Que a máxima “quem casa quer casa” ainda é válida, todos sabemos. Contudo, o que não sabemos é como promover um encontro dos vetores “desejo x preço de venda”, como também, o vetor “preço de custo x preço de venda”.

O empreendedor tem se debruçado mais a cada dia, para encontrar forma construtiva que possibilite construir uma casa a preços acessíveis e de fácil poder de financiamento, mas os problemas maiores não estão exatamente no financiamento e suas regras de juros e sim, no preço final que será objeto do financiamento.

O consumidor anseia por uma casa que possa dizer sua, em total sintonia com o ditado popular que diz “Casa própria é tesouro, não se paga nem com ouro.” Mesmo assim, os preços finais não conseguem fazerem-se próximos de sua condição de renda.

Com a experiência de análise de muitos projetos imobiliários, posso dizer que as margens das construtoras/incorporadoras não estão altas, sendo o suficiente para a sobrevivência e lento crescimento das empresas do setor. Precisamos mesmo é de renda! Empregos! Empreendedorismo! Que o público auxilie o privado no surgimento de mais negócios, com a melhoria das estradas, criação de planos de crescimento da economia, uma discussão aberta sobre os caminhos do Rio Grande do Norte e promoção dos pequenos produtores do estado, fora de seus limites.

Com estas providências, além de outras que possam ser somadas a estas, para a melhoria de nossa economia, teremos uma taxa de crescimento constante e com ela, o fortalecimento dos mais diversos setores. Os empresários do setor da construção civil estão fazendo sua parte, contratando pessoal qualificado para auxiliar as tomadas de decisão, criando estruturas mais eficientes, buscando redução de custos e adequando as rentabilidades ao que possa ser uma “margem segura”, para a manutenção dos negócios. Resta agora o público fazer sua parte e você leitor, entrar nessa empreitada. Como?

Cobrando a promessas de todos os agentes públicos! Arregace as mangas e vamos juntos à luta!

PRODUTO DE FINANCIAMENTO SANTANDER

Analisando os diversos produtos de financiamento imobiliário do mercado, deparei-me com o portfólio do CONSTRUÇÃO FÁCIL. Produto financeiro habitacional do Banco Santander, que visa financiar a construção de imóveis para pessoas físicas. Em comparação com outros diversos produtos do mercado, considerei serem boas as taxas e boas as condições. Vale a pena conferir!

PORTABILIDADE BANCÁRIA

Será que o interesse que os banco tem em restringir a portabilidade prosperará? O que desanima os consumidores é o sentimento que a concorrência nunca bate às portas bancárias! Será mesmo?

O banco que pode ser mais afetado com a portabilidade dos contratos de financiamento imobiliários é a Caixa Econômica, já tendo um diretor da instituição afirmado que a “portabilidade não pode criar concorrência antiética”.

A pergunta que fica no ar é: O QUE É CONCORRÊNCIA ANTIÉTICA NO SETOR BANCÁRIO?

DICA DO COLARES

Fazer pesquisa de mercado é vital para o seu negócio! 


Outros artigos»
OUTROS ARTIGOS
13 de julho de 2013

Mercado avança com contrato de locação "Built to Suit"

O contrato de locação "built to suit" é aquele contrato de locação no qual o locat&aa…

Continuar lendo »
23 de novembro de 2012

Urbanismo em Pauta

Hoje, passaremos a analisar outro aspecto do mercado imobiliário, que é o URBANISMO. Sim! Em meio a um nom…

Continuar lendo »